Breves Declarações – Parte Dois

Hoje não janto. Hoje não janto “em casa”, uma vez que por necessidades nutricionais, janto todos os dias. Se estiverem na mesma situação, ou numa situação semelhante, e avistarem uma moça interessante, porque não sussurrar ao seu ouvido (direito – no sentido de postura, porque é irrisória a opção por um dos ouvidos):

  • Deitar tarde e cedo erguer, é porque te vou “comer”.
  • Queres ser a fibra das “páginas em branco” da minha vida?
  • Tu não és “fibra ótica”. És “fibra ótima”.
  • Quando te avistei, o meu coração começou um concerto de “metal”.
  • “Dá cá mais cinco” não funciona contigo. “Dá cá mais tudo o que tu tiveres” já. (Esta declaração mais parece uma tentativa de furto à mão armada)
  • Contigo, o tempo passava a “passos de caracol”.
  • Sabes porque é que inventaram a cerveja preta? Porque as “morenas” são as melhores. (Se a moça não for morena, façam um trocadilho com um Gin todo XPTO)
  • Tenho uma sanguessuga a pensar em ti.
  • Quando te avistei, o meu cérebro ficou com “delay”.
  • Queres ir programar comigo, utilizando a “linguagem” do amor?
  • Contigo deixava de saber nadar, já que não fazia “nada”, fazia tudo.
  • Por ti, mudava-me para o FCP (Fo***-** Com uma Pinta).